Mostra de Vídeos 360

entre 31/05 e 02/06, das 10h às 18h, na Galeria de Arte e Pesquisa

Rio de Lama
Tadeu Jungle, Brasil, 2016, 9’34

Documentário de curta-metragem realizado em realidade virtual sobre o rompimento da barragem da Samarco, em Mariana, MG. O filme mostra o que restou da vila de Bento Rodrigues e contrapõe a paisagem arrasada com as alegres memórias de seus moradores. http://riodelama.com.br

 

Seleção Vice Brasil 360
Vice Media Inc, Brasil, 2016, 19’

Programa de vídeos de cunho jornalístico em 360o realizados pela Vice Brasil. Inclui os episódios Por dentro da Torcida do Palmeiras (3’40”), Por dentro da Vila Mimosa (2’34”), Por dentro do ato Fora Temer (3’18”), Por dentro da Festa de Santa Bárbara (4’00”), e Por dentro da Batalha de Santa Cruz (5’20”). Não recomendado para menores de 15 anos.

 

Catacombs II
Claire Hentschker, EUA, 2017, 8’

Catacombs II é uma reconstrução em vídeo 360o de um shopping norte-americano que já esteve abandonado e hoje se encontra destruído. O vídeo é realizado a partir de vídeos encontrados no YouTube e de um processo chamado fotogrametria. Fotogrametria é a extração de dados volumétricos a partir de imagens bidimensionais. Sequências de quadros de vídeos encontrados no YouTube foram utilizadas para, desta forma, criar modelos tridimensionais fragmentados de espaços que já não mais existem. A trilha original é de R. Luke DuBois.

Claire Hentschker é uma artista interessada na preservação digital de lugares defuntos e espaços imaginários. Seu trabalho já foi exibido no Carnegie Museum of Art, Art && Code – Weird Reality, The Free State Festival, no Kansas, Mutek Montreal, e Currents New Media. Atualmente, cursa mestrado em Design de Mídias Interativas na Universidade de Carnegie Mellon.

 

++ We Will Love You For Ever
Evan Meaney, EUA, 2017, 13’50”

Um simulador de desapontamento, que fala do processo de criação artística, síndrome do impostor, decadência, arquivos na lua, e exílio persistente. Superdivertido. Versão original em VR, aqui apresentado em vídeo 360.

Evan Meaney é artista e pesquisador, e ensina práticas de novos meios na Universidade da Carolina do Sul. Seu trabalho explora liminaridades e erros de todos os tipos; assimilando a falha de dados a fantasmas, seànces e à espectrologia dos arquivos. Foi residente no Wexner Centro de Artes, membro fundador de GLI.TC/H, e contribuidor da Atlantic. Recentemente, Evan trabalhou com o time de supercomputadores no laboratorio nacional de Oak Ridge em projetos financiados pela fundação nacional para a ciência dos EUA. Seu trabalho em mídias temporais está disponível no video data bank de Chicago.